PIOVANI: NA TELA E NO PALCO

Publicado por admin em sab, 05/25/2019 - 12:28
Nicola Piovani começou sua trajetória de compositor de trilhas para o cinema, mas alguns anos depois enveredou pelos palcos dos teatros para colocar música em espetáculos cênicos a partir de 1972 na peça do poeta revolucionário e futurista russo Vladimir Majakovskij, O Banho com direção de Carlo Cecchi.

Nicola Piovani começou sua trajetória de compositor de trilhas para o cinema, mas alguns anos depois enveredou pelos palcos dos teatros para colocar música em espetáculos cênicos a partir de 1972 na peça do poeta revolucionário e futurista russo Vladimir Majakovskij, O Banho com direção de Carlo Cecchi. Cantata das Flores é um espetáculo cênico de Piovani que congrega poesia e música em dois tempos distintos. A presença em cena de trezes instrumentos escorando vozes que cantam e recitam e que foi encenado pela primeira vez em 1990. Tive a felicidade de receber de presente da parte de Nino Piovani, irmão de Nicola, não só esta relíquia musical, bem como a trilha de Canti Di Scena, outro espetáculo de recitação e música com as participações de Vincenzo Cerami e Norma Martelli. Em 2011 Nicola Piovani levou para o palco um concerto mitológico chamado A VIAGEM DE ULISSES, no qual a música alterna sua presença com poemas de James Joyce, Homero e outros. Em 2015 Nicola Piovani lançou uma nova ópera musical inspirada na obra poética de Dante Alighieri, Vita Nuova, onde ele narra uma passagem da sua juventude e a paixão por Beatrice, filha do nobre florentino Folco Portinari. A sensibilidade de Piovani em resgatar do mundo literário obras poéticas que se complementam com a sua música.