MORRICONE E O BOLERO

Publicado por admin em ter, 10/30/2018 - 09:49
O compositor Ennio Morricone incursionou pelos mais distintos gêneros musicais que a sua criatividade permitiu. A sua primeira experiência com o bolero aconteceu em 1973, por ocasião do filme CRESCEI E MULTIPLICAI-VOS, uma comédia dirigida Giuglio Petroni.

O bolero é uma dança espanhola, cujo andamento é moderado e o compasso ternário. A popularidade do bolero foi alcançada, principalmente durante uma parte do século XVIII e no transcorrer de todo o século XIX. Como temos feito neste programa, o nosso objetivo é contextualizar de que forma determinados ritmos, danças e melodias são inseridas no contexto da trilha sonora do filme. O curioso é que quando falamos de bolero no cinema, o primeiro exemplo que ocorre é com relação ao famosíssimo Bolero de Ravel. É bom lembrar, no entanto, que em matéria de música erudita Maurice Ravel não foi o único a compor um bolero, pois Berlioz e Chopin também são autores de boleros. Ocorre que o Bolero de Ravel ganhou maior notoriedade, principalmente pelo fato de que em pelo menos duas ocasiões ele acabou inserido em trilhas sonoras.

O compositor Ennio Morricone incursionou pelos mais distintos gêneros musicais que a sua criatividade permitiu. A sua primeira experiência com o bolero aconteceu em 1973, por ocasião do filme CRESCEI E MULTIPLICAI-VOS, uma comédia dirigida Giuglio Petroni. Na trilha sonora um insinuante bolero com direito a castanhola e tudo mais que um bom ritmo flamenco poderia estimular. Mais tarde em 2000, por ocasião do filme MALENA dirigido por Giuseppe Tornatore, mais uma vez Ennio Morricone esbanja talento e criatividade através da música intitulada “Bolero Casino”. 

Os dois boleros poderão ser ouvidos nos arquivos de áudio.