UMA RUA CHAMADA PECADO (1951)

Publicado por admin em seg, 10/02/2017 - 11:01
Música de Alex North para o filme UMA RUA CHAMADA PECADO.

O trabalho cinematográfico do cineasta Elias Kazan sempre teve o apoio de recursos da encenação teatral. Em UMA RUA CHAMADA PECADO, o ator Marlon Brando surge com uma tensão dramática impressionante, bem como o desempenho marcante de Vivian Leigh.

A atriz Vivian Leigh ganha o Óscar de melhor atriz pelo papel como Blanche, uma professora acometida de um esgotamento nervoso depois da morte do jovem marido e dos pais. Blanche resolve ir até St. Louis visitar a irmã caçula Stella, interpretada por Kim Hunter que merecidamente ficou com o Óscar de melhor atriz coadjuvante, e o que inicialmente seria um reencontro entre duas criaturas criadas no mesmo mundo, torna-se um acerto de contas com o passado. Na realidade, com essa viagem Blanche estava muito mais interessada em começar uma nova vida, rompendo com a realidade de um passado neurótico. Marlon Brando, como o polonês Kowalski, foi apenas indicado a melhor ator, enquanto Karl Malden faturou o Óscar de melhor ator coadjuvante.

O filme é baseado na obra de Tennessee Williams, também responsável pelo roteiro cinematográfico. A ambientação perfeita foi produzida com cenários de George James Hopkins, que no mesmo ano de 1951 havia trabalhado com Alfred Hitchcock em PACTO SINISTRO. Seu trabalho foi recompensado por um merecido Oscar. A fotografia irretocável de Harry Strading, apenas foi indicada ao Oscar.

A trilha sonora foi um trabalho primoroso do compositor Alex North, o qual começou uma trajetória ascendente da sua carreira complementada por outras grandiosas composições como VIVA ZAPATA, OS MISERÁVEIS, A ROSA TATUADA, SPARTACUS, CLEOPATRA e AS SANDÁLIAS DO PESCADOR. A música de UMA RUA CHAMADA PECADO cumpre um papel de extrema funcionalidade, exercendo um efeito de contraponto, a partir da própria valorização dos diálogos, muitas vezes densos e profundos, enquanto a marcação melódica se dá com o tema principal com variações. A personagem Blanche, atormentada por fantasmas do passado, guarda um segredo que será desvendado apenas nas cenas finais. Aliás, o curioso é que, às vezes, a personagem ouvia os acordes de uma polca que a ligava a acontecimentos do passado que queria esquecer. A trilha sonora d o filme tem um peso substantivo como sustentáculo da articulação dramática.

Alex North começou a compor para o cinema em 1937, inicialmente com músicas para documentários e posteriormente para séries produzidas para a TV. UMA RUA CHAMADA PECADO foi sua segunda trilha sonora para longa-metragem, sendo o primeiro trabalho para o filme CARTAS VENENOSAS, dirigido por Otto Preminger.

O departamento musical da Warner era comandado por Ray Heindorf, que foi o regente da primeira gravação original da trilha de UMA RUA CHAMADA PECADO. No entanto, essa gravação não é integral, pois tem apenas 25 minutos e 41 segundos de uma verdadeira suíte sinfônica. Depois de 44 anos, a trilha sonora foi regravada completa com novo entusiasmo pela The National Philharmonic Orchestra sob a regência de Jerry Goldsmith, lançada pelo selo Varese Sarabande em 1995.