TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME.

Publicado por admin em sab, 02/10/2018 - 23:32
A atriz Frances McDormand, sentindo um cheiro de Oscar de melhor atriz é Mildred, a mãe desolada e desiludida com a justiça.

Imagine aquela mãe que teve uma filha estuprada e morta e decorridos oito meses do fato a polícia não tem pistas e também não está investigando o caso. Bem, talvez se isso ocorresse no Brasil possivelmente ela movida pela sede de justiça, procuraria o programa do Datena para denunciar o fato. Mas como o fato ocorreu numa pequena localidade do Missouri, um estado marcado pelo preconceito contra os negros, violência de maridos contra esposas e a cumplicidade do silêncio muitas vezes da mídia, principalmente pelo respeito ao xerife da cidade. Essa mãe acaba lançando mão de um expediente bastante original para protestar contra o fatídico episódio e resolve colocar às margens da rodovia, três outdoors e denunciar o crime. Bem todos esses ingredientes estão contemplados no roteiro do filme TRÊS ANUNCIOS DE UM CRIME. O primeiro outdoor diz: “ESTUPRADA ENQUANTO MORRIA”, o segundo “COMO PODE XERIFE WILLOUGHBY”, o terceiro “E AINDA NENHUMA PRISÃO?”.

O filme vai mais além da busca por justiça e também mostra a humanidade, que ainda permite acreditar que o ser humano pode ser viável.

A atriz Frances McDormand, sentindo um cheiro de Oscar de melhor atriz é Mildred, a mãe desolada e desiludida com a justiça. Uma outra grande surpresa no elenco é o desempenho do ator Sam Rockwell que concorre ao Oscar de melhor ator coadjuvante e tem a capacidade em cena de mudar drasticamente o perfil do seu personagem, instigando a plateia.

O filme é o terceiro longa metragem do cineasta e roteirista inglês, que também concorre ao Oscar de melhor direção.

Mais uma vez indicado ao prêmio o notável compositor Carter Burwell que tem se notabilizado por produzir trilhas mais intimistas, mas também de raízes regionais.