QUANDO O DIA AMANHECE.

Publicado por admin em sab, 03/03/2018 - 10:00
O cineasta iugoslavo Goran Paskaljevic em 2012 lançou o seu filme QUANDO O DIA AMANHECE. A história é sobre um professor de música aposentado que um dia recebe uma notícia que vai mudar por completo a sua vida e a própria identidade. Num antigo parque  onde eram realizadas feiras, hoje se transformou num cortiço. Quando funcionários da prefeitura foram consertar a tubulação de água num antigo parque de Belgrado encontraram uma pequena caixa que havia sido enterrada no início da década de quarenta.

O cineasta iugoslavo Goran Paskaljevic em 2012 lançou o seu filme QUANDO O DIA AMANHECE. A história é sobre um professor de música aposentado que um dia recebe uma notícia que vai mudar por completo a sua vida e a própria identidade. Num antigo parque  onde eram realizadas feiras, hoje se transformou num cortiço. Quando funcionários da prefeitura foram consertar a tubulação de água num antigo parque de Belgrado encontraram uma pequena caixa que havia sido enterrada no início da década de quarenta. O objeto pertencia a uma família de judeus, que antes de ser presa pelos alemães, entregou o filho pequeno para que um casal de amigos cuidasse dele. O menino cresceu, estudou música e se transformou num professor. O tempo passou e de repente naquela caixa enterrada em 1941, estaria uma revelação da verdade dos fatos. O professor Misa, não era filho de quem ele pensava, seus pais foram presos e mortos pelos nazistas. O pai de Misa era músico e deixou uma partitura inacabada e que foi depositada justamente naquela caixa enterrada. Em busca da verdade, resgatando o passado, o velho professor tenta reconstituir a trajetória que foi feita pelos pais até serem presos pelos alemães. O filme de Paskaljevic mais do que contar uma história de judeus iugoslavos, tenta mostrar que Belgrado foi palco do extermínio de milhares de judeus. Bem por isso, fora das telas levantou a bandeira para a construção de um memorial, justamente para que os crimes cometidos por nazistas não sejam repetidos, principalmente em tempos de ultranacionalismo.

O filme de Paskaljevic não é uma fábula nos moldes do filme A Vida é Bela, mas sim uma história que remonta fatos ocorridos em Belgrado durante a Segunda Guerra, onde a Gestapo comandava um campo de prisioneiros.

A trilha sonora maravilhosa foi composta por Vlatko Stefanovski, compositor nascido na Macedônia.

A grande frase do filme “Enquanto a música existir, nós existiremos”.