ORFEU DO CARNAVAL (1958)

Publicado por admin em seg, 10/02/2017 - 12:17
Orfeu no Carnaval de 1958

ORFEU DO CARNAVAL é uma produção baseada num texto de Vinícius de Moraes, que em 1956 tinha se transformado numa peça de teatro e que serviu para dar início a uma parceria notável entre o poetinha Vinícius e Tom Jobim. O produtor francês Sacha Gordine ficou encantado com essa experiência e quis transportá-la para a tela do cinema, convocando então o cineasta Marcel Camus para adaptar o texto de Vinicius. Por exigência do produtor francês, a trilha sonora do filme deveria contemplar apenas canções inéditas. Assim sendo, foram especialmente compostas para o filme verdadeiras relíquias musicais que se transformariam num enorme sucesso, como foi o caso de “A Felicidade”, “O Nosso Amor”, “Samba do Orfeu” e a inesquecível “Manhã de Carnaval”, imortal composição de Luiz Bonfá.

O filme do cineasta Marcel Camus retrata a trajetória de um motorneiro de bonde e sambista que mora num morro e apaixona-se por uma jovem do interior que chega à capital para ganhar a vida. No elenco do filme nos papéis principais o brasileiro Breno Mello e a norte-americana Marpessa Dawn. O cantor Agostinho dos Santos, interprete de “A Felicidade”, teve por meio dessa canção as portas abertas da França, onde fez um grande sucesso. Fatidicamente, morreu num desastre aéreo em 12 de Julho de 1973, quando um avião da Varig caiu nas proximidades do Aeroporto de Orly.

Além de Agostinho dos Santos, quem também aparece no filme ORFEU NO CARNAVAL é a cantora Elizeth Cardoso.

A trilha sonora de ORFEU NO CARNAVAL abriu as portas do cinema francês para a música brasileira, notadamente Vinícius de Moraes, que teve um novo espaço por ocasião do filme de Claude Lelouch, UM HOMEM E UMA MULHER (1966).

O filme ganhou os principais prêmios do cinema começando pelo Óscar e Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro, passando pelo Bafta da Inglaterra e terminando com a Palma de Ouro do Festival de Cannes de 1959.

Em se tratando de canções originalmente compostas para o filme, é impressionante o sucesso que canções como “A Felicidade” conquistou, inicialmente na voz de Agostinho dos Santos, e que foi gravada por Nara Leão, Elizeth Cardoso, Quarteto em Cy e tantos outros renomados artistas da música popular brasileira.

O compositor Luiz Bonfá teve a consagração mundial em 1962, ao participar do Festival de Bossa Nova no Carnegie Hall em Nova Iorque, executando para delírio da plateia, “Manhã de Carnaval” e “Samba do Orfeu”.

Em 1989, a PolyGram lançou no mercado o CD da trilha sonora original do filme “ORFEU NO CARNAVAL”.

A força das músicas, originalmente compostas para a trilha sonora do filme, mostra que elas tiveram vida própria além do filme, numa demonstração de que quando a música é boa, ela se perpetua pelo tempo.

Curiosidade: A única trilha que Antonio Carlos Jobim fez no exterior foi para o épico “The Adventures” (Os Aventureiros), filme de Lewis Gilbert com Candice Bergen, Ernest Borgnine, Olívia de Havilland, Fernando Rey e Charles Aznavour. Uma super produção de 3 horas que se salvou pela música do Mestre Jobim.