VIDAS À DERIVA (2018)

Publicado por admin em sab, 08/25/2018 - 09:56
VIDAS À DERIVA, cuja história só foi possível ser contada depois de uma experiência sobre-humana de um jovem casal de enfrentar os fenômenos da natureza.

O cineasta islandês Baltasar Kormákur tem alimentado sua paixão pelo cinema, na mesma proporção em que se baseando em situações reais, ele pode permitir que os seus filmes toquem mais fundo os espectadores, cutucando o potencial dos atores naquilo que efetivamente está acontecendo. Por falar em real, o filme foi inspirado totalmente na experiência do casal Tami e Richard que no meio do caminho entre Taiti e San Diego na Califórnia, foi surpreendido por um dos maiores furacões que sacudiram as águas do oceano. Esta aventura real, inspirou Kormákur, que ao invés de produzir tudo no estúdio, resolveu enfrentar as águas agitadas de um mar aberto. Foi justamente essa experiência que transformou o filme VIDAS À DERIVA, cuja história só foi possível ser contada depois de uma experiência sobre-humana de um jovem casal de enfrentar os fenômenos da natureza. Kormákur escolheu um local sob medida para rodar o filme, que foi justamente o local em que o dia surge em primeiro lugar, as Ilhas de Fiji no centro do Pacífico. O livro escrito por Tami Ashcraft contando a sua incrível história de amor, aventura e sobrevivência inspirou o roteiro deste filme, servindo de aval, para que não se pense apenas em ficção, pois por mais incrível que seja a circunstância ela foi real.Uma grata surpresa foi a trilha sonora do compositor alemão Volker Bertelmann, conhecido por Hauschka,  que tem pavimentado uma sólida carreira no campo das trilhas sonoras que foi iniciada em 2007. Em 2016 sua trilha sonora para o filme LION: UMA JORNADA PARA CASA, recebeu uma indicação ao Oscar. Mas impossível ouvir a trilha de VIDAS À DERIVA e não se lembrar de Jóhann Jóhannsson. Mas a trilha sonora tem várias pérolas musicais desde o jazz de John Coltrane e Miles Davis chegando até o samba de Luiz Bonfá, Manhã de Carnaval.