ATÉ LOGO, MEU FILHO

Publicado por admin em dom, 04/26/2020 - 15:22
No seu recente trabalho em 2019 com o filme ATÉ LOGO, MEU FILHO, o fio condutor da história contada por Xiaushuai diz respeito a política do “filho único”.

O primeiro filme do cineasta chinês  Wang Xiaushuai que assisti foi BICICLETAS DE PEQUIM. Interessante que mesmo sem saber, achei que havia algo de neorrealismo e muito próximo da história que De Sica contou no seu Ladrões de Bicicleta, clássico de 1948 do cinema italiano. Mais tarde, lendo a respeito de Xiaushuai descobri que o filme mais marcante para o cineasta foi justamente Ladrões de Bicicletas, que ele assistiu quando era estudante na Academia de Cinema de Pequim. No seu recente trabalho em 2019 com o filme ATÉ LOGO, MEU FILHO, o fio condutor da história contada por Xiaushuai diz respeito a política do “filho único”. Instituída pelo governo chinês a regra do filho único em cada família durou de 1979 até 2016 e que com isso evitou 400 milhões de nascimentos. O cineasta não só teve a capacidade de escrever a história como conta-la na tela, sob a perspectiva de dois casais amigos. Tudo começa quando os dois filhos, um de cada casal, brinca próximo a um reservatório e de repente um acidente culminando com a morte do filho do casal Yaojun e Lyun. O impacto dessa morte vai repercutir pelos próximos trinta anos, que será o espaço de tempo em que a nova China se instala e o ritmo do progresso deixará muita coisa para trás, menos a amizade do casal Yaojun e Lyun com o casal Haohau e Haiyan, que experimentam a prosperidade, mas um peso na consciência que muitas vezes só descansa com a própria morte. No filme de Xiaushuai ele utiliza vários flashbacks, propiciando um cruzamento do passado com o presente. Inegavelmenta a China experimentou  profundas transformações sociais, políticas e econômicas do espaço de trinta anos. A música de fundo é a clássica canção escocesa Auld Long Syne e ela ostenta grande popularidade na China. A explicação para isso está no próprio sentido que ela representa para os chineses, uma espécie de “a amizade vai durar para sempre”, pois a letra não contempla nenhum aspecto político que possa contaminar uma amizade. Por isso, a grande mensagem do filme está na amizade, principalmente quando envolve não as novas, mas aquelas velhas amizades que nem o tempo foi capaz de apagá-las!