Tributo para Krzysztof Penderecki

Publicado por admin em dom, 03/29/2020 - 17:10
O preciosismo de  Krzysztof Penderecki sempre esteve no seu grande esforço no sentido de não permitir que o seu senso criativo jamais o fizesse se tornar repetitivo. Com Penderecki, sua genialidade permitia que ele conseguisse produzir o que os outros não conseguiriam nem com muito trabalho. A sua obra continuará viva e pulsante!

Krzysztof Penderecki nasceu em Debica, Polônia no dia 23 de novembro de 1933 onde viveu até sua transferência para Cracóvia, onde foi estudar música na Academia de Música de Cracóvia. Penderecki faleceu  neste dia  29 de março, depois de lutar bravamente contra uma doença. Até o ano passado, cumpriu rigorosamente os seus compromissos de concertos, sendo que no mês de outubro realizou uma turnê de apresentações pela China com seis concertos regendo suas obras executadas pela Orquestra Sinfônica de Varsóvia. Krzysztof Penderecki pode ser considerado pioneiro no século XX, quanto a ter desenvolvido escalas tonais e ainda estruturas melódicas extremamente inovadoras. Krzysztof Penderecki compôs quatro óperas, dezenove peças para orquestra e canto, dezesseis obras para música de câmera, escreveu ainda peças para clarinete,viola, violoncelo e tuba, além de ter composto trinta e cinco trilhas sonoras para o cinema. Além disso, suas composições foram aproveitadas em trilhas até aqui, de trinta e dois filmes. Ele começou a compor trilhas em 1961 para um curta metragem, dirigido pelo cineasta Krzysztof Debowsky. Mas o seu primeiro sucesso para o cinema foi a trilha sonora de Eu Te Amo, Eu Te Amo, filme do cineasta francês Alain Resnais. No filme O EXORCISTA de 1973, o cineasta William Friedkin aproveitou pelo menos cinco peças de Penderecki para a trilha sonora do seu filme.  Em 1980 o cineasta Stanley Kubrick telefonou para Krzysztof Penderecki convidando-o para compor a trilha sonora de O ILUMINADO. Depois de tomar conhecimento sobre a história, Penderecki acabou sugerindo que Kubrick utilizasse algumas de suas composições, o que foi feito e caiu como uma luva no filme, principalmente “Polymorphia”. Bem mais tarde em 2010, um outro telefonema de Hollywood, desta feita do cineasta Martin Scorsese que pretendia utilizar as músicas de Penderecki para o seu filme “Ilha do Medo”, o que foi feito também com muita propriedade, notadamente “Passacaglia” que está inserida na sua  Sinfonia Nº 3. Uma das trilhas mais belas compostas por Penderecki, foi para o filme KATYN de 2007, do cineasta Andrzej Wajda. Indicado para concorrer ao Oscar de melhor filme estrangeiro, a produção  narra o aterrador episódio do massacre de milhares de oficiais poloneses por parte dos russos na floresta de Katyn em 1940. A trilha sonora do filme Katyn  recebeu o prêmio de melhor música no Festival de Cinema da Polônia em 2008. Krzysztof Penderecki arrebatou em três oportunidades o importante prêmio da música, o Grammy respectivamente em 1988 pelo seu concerto para violoncelo, 1999 pelo seu concerto para violino e ainda em 2017 pelo seu álbum Penderecki Conducts Penderecki, que reuniu grandes expressões vocais como a finlandesa Johanna Rusanem-Kartano, a polonesa Agnieszka Rehlis e o tenor russo Niklolai Didenko. O preciosismo de  Krzysztof Penderecki sempre esteve no seu grande esforço no sentido de não permitir que o seu senso criativo jamais o fizesse se tornar repetitivo. Com Penderecki, sua genialidade permitia que ele conseguisse produzir o que os outros não conseguiriam nem com muito trabalho. A sua obra continuará viva e pulsante!