BLADE RUNNER- O CAÇADOR DE ANDROIDES (1982)

Publicado por admin em ter, 10/03/2017 - 10:04
Trilha sonora original de Blade Runner composta por Vangelis

O filme BLADE RUNNER- O CAÇADOR DE ANDROIDES, de Riddley Scott, se transformou num verdadeiro cult-movie. A produção foi baseada no livro de Philip K. Dick que inspirou outras produções cinematográficas, notadamente pelo impacto que o seu estilo gerou no meio literário. O papel do caçador de androides é interpretado por Harrison Ford contracenando ao lado da bela replicante Sean Young.

O diretor Riddley Scott convidou Vangelis para trabalhar na música de BLADE RUNNER, um dos melhores e mais influentes filmes de ficção já produzidos. Apesar da trilha sonora composta por Vangelis ter sido indicada ao Globo de Ouro e ao Bafta e não arrebatando nenhum prêmio, ela desempenhou papel fundamental no contexto da narrativa e se transformou num grande sucesso. O curioso é que a primeira gravação que surgiu no mercado foi da New American Orchestra, isso em decorrência do inesperado suesso do filme. Apenas em 1993, é que surgiria uma gravação da trilha sonora original editada pela Off World, com produção de 2 mil cópias feitas especialmente para os colecionadores de trilhas.

A música revolucionou notadamente pela proposta musical ousada e inovadora introduzida por um músico pop do estilo de Vangelis. Vangelis Papathanassiou nasceu no dia 29 de março de 1943, na cidade grega de Volos. Ele tinha quatro anos de idade, quando deu os primeiros sinais de interesse pela música. Seus pais tentaram encorajá-lo para que estudasse com um professor de música, mas ele não respondeu bem à educação formal, demonstrando sempre estar pouco disposto a seguir instruções. Sua filosofia era de que não se devia pedir emprestado o conhecimento dos outros. Com isso, intuitivamente, ele cresceu respirando música o tempo todo e aprendendo os instrumentos movidos por intensa curiosidade. Ele deixou logo a escola e partiu para formar um conjunto e fazer apresentações, lotando estádios de futebol na Grécia. O conjunto que ele formou junto com amigos chamava Formynx, e nos anos 1960 formando uma enorme legião de fãs. Vangelis foi efetivamente o primeiro a apresentar a música popular no seu país e sua banda não demorou em se transformar no grupo de música mais popular de toda a Grécia.

Durante o motim grego em 1968, Vangelis se mudou para Paris. Na capital dos franceses, ele trabalhou com Demis Roussos e Loukas Sideras e arrebentou nas paradas de sucesso com o grupo Afrodite Child, o qual alcançou um dos maiores sucessos em todo o mundo com a canção “Rain and Tears”. Nessa época, Vangelis conheceu o cineasta Frederic Rossif com quem iniciou sua trajetória de compositor de trilhas, com o filme O APOCALIPSE DOS ANIMAIS, em 1972.

No ano de 1974, Vangelis voltou a se entusiasmar com o cinema, recebendo um convite do cineasta François Reichenbach para trabalhar na música de ENTENDS-TU LES CHIENS ABOYER? O filme foi um fiasco, mas Vangelis começava a estruturar as linhas melódicas que seriam aperfeiçoadas ao longo do tempo, com suas experiências em temperar musicalmente as cenas. Ainda em 1974, ele se mudou para Londres no meio de uma tempestade de rumores que estaria se juntando ao grupo YES, assumindo o posto de Rick Wakemen no teclado. Mas tudo não durou mais do que algumas semanas, pois Vangelis percebeu que sua filosofia não batia com a do grupo inglês. Em 1976, ele foi convidado pelo cineasta Frederic Rossif para compor a trilha sonora do filme A FESTA SELVAGEM. Mais tarde, assinou um contrato com a gravadora RCA e lançou vários álbuns musicais resgatando a vanguarda da música popular na Europa e nos Estados Unidos. Aproveitando seu prestígio, ele não tardou em ser convidado a retornar ao cinema, compondo a trilha sonora do filme CARRUAGENS DE FOGO, que lhe rendeu o Óscar de melhor trilha sonora, em 1981.

Em 1982, o compositor foi convidado pelo seu compatriota Costa Gavras para compor a trilha sonora do filme DESAPARECIDO, sendo que este seu trabalho rendeu-lhe uma indicação para o prêmio BAFTA da Inglaterra.

 Vangelis mesmo com o Óscar que ganhou com CARRUAGENS DE FOGO, não se dedicou de corpo e alma ao cinema, preferiu a sua carreira de músico performático no estilo New Age. Mas quando Ridlley Scott o convidou para a trilha sonora de 1492, A CONQUISTA DO PARAÍSO, filme que serviu para marcar os 500 anos da Descoberta da América, Vangelis se esmerou ao máximo e produziu um trabalho de relevo, que foi indicado para o Globo de Ouro.

Vangelis mostrou ser capaz de criar verdadeiras imagens sonoras, característica que tornou sua música perfeita para o cinema.