UM GRITO DE LIBERDADE (1987)

Publicado por admin em ter, 10/03/2017 - 15:09
Trilha sonora do filme Um Grito de Liberdade composta por George Fenton

O filme UM GRITO DE LIBERDADE, dirigido pelo cineasta inglês Richard Attenborough, foi inspirado em dois relatos escritos pelo jornalista sul-africano Donald Woods, sobre o ativista negro Steve Biko, que morreu na prisão vítima de tortura. O papel de Biko foi protagonizado por Denzel Washington que pelo seu desempenho foi indicado ao Óscar de melhor ator. O filme foi cercado de muita polêmica, sendo proibido de ser exibido na África do Sul.

Quando um diretor convida o compositor da trilha para participar das filmagens é um sintoma evidente de que o cineasta se preocupa sobremaneira com a parte musical. Por outro lado, o compositor, que frequenta o set de filmagem e sente o clima do filme, tem maior probabilidade de produzir um trabalho mais compatível com as cenas. Foi exatamente assim que aconteceu com o filme UM GRITO DE LIBERDADE, quando então o cineasta Richard Attenborough convidou o seu compatriota George Fenton para acompanhar as filmagens.

De acordo com a própria história, a ser narrada, estava mais do que claro que haveria necessidade de se produzir uma trilha mais nacionalista possível. Para tanto, o compositor inglês George Fenton aceitou a colaboração do músico sul-africano Jonas Gwangwa. O resultado dessa parceria não poderia se mostrar mais profícuo e consequentemente os resultados foram os mais expressivos. Se a trilha não conquistou prêmios importantes, pelo menos foi lembrada para o Óscar de melhor trilha e canção, além do Globo de Ouro, Bafta e Grammy.

A trilha sonora de UM GRITO DE LIBERDADE ficou com a cara do filme. A parte instrumental composta por George Fenton valorizou sobremaneira essa produção cinematográfica. A canção “Crossroads-A Dawn Raid” nos brinda com um magnífico solo vocal de Nicola Emmanuel. Na cena do funeral, que lembrou o filme GANDHI, tivemos uma canção soturna entoada por Thuli Dumakude.

Já a canção tema do filme “Cry Freedom” tem as participações vocais de Jonas Gwangwa e de George Fenton.

O compositor George Fenton nasceu em Londres, no dia 19 de outubro de 1950. Ele começou sua trajetória de compositor de trilhas em 1971, com vários filmes sem muita expressão. Seu nome só começou a aparecer com realce, quando foi convidado pelo seu compatriota, o cineasta Richard Attenborough, para fazer a trilha sonora de GHANDI, em 1981. Foi uma experiência extremamente rica, já que ele começava a despertar para a importância do sentimento musical nacionalista de uma trilha sonora. Nesse sentido, ele dividiu o trabalho em GHANDI, com o indiano Ravi Shamkar, o que serviu para solidificar suas convicções e ampliar sua base musical. Ele ficou encarregado das chamadas musicas institucionais do filme, enquanto que Shankar ficou com a parte nacionalista da trilha.

George Fenton é um compositor dado a grandes desafios. Por exemplo, em 2005, pela primeira vez, na sua trajetória, ele teve a oportunidade de compor uma trilha para um filme de animação. VALIANT, UM HERÓI QUE VALE A PENA.

George Fenton foi galgando degrau por degrau a escada que leva em direção ao reconhecimento e hoje é nome respeitado em Hollywood. No seu acervo de trilhas importantes, trabalhos musicais para filmes como LIGAÇÕES PERIGOSAS, AS LOUCURAS DO REI GEORGE, SINTONIA DE AMOR, A RAZÃO DO MEU AFETO, MENSAGEM PRA VOCÊ, ANNA E O REI DO SIÃO, DESEJOS, LOUCOS DE PAIXÃO e muitas outras trilhas.

Determinadas trilhas podiam ter o seu valor dimensionado pela iniciativa de determinadas gravadoras em lançá-las em edição limitada. É o que ocorreu, por exemplo, com a trilha sonora do filme NÃO SOMOS ANJOS, um dos grandes trabalhos de George Fenton.

 Suas trilhas sonoras são dotadas de um colorido todo especial grifando os principais pontos do enredo da história que está sendo contada na tela.