INJUSTIÇAS DO OSCAR- PARTE 12.

Publicado por admin em ter, 02/27/2018 - 06:28
 O compositor argentino Gustavo Santaolalla em 2005 levou o prêmio de melhor trilha por O SEGREDO DE BROKEBECK MOUNTAIN. No ano seguinte ele volta a concorrer com BABEL, que na realidade acabou se transformando numa colcha de retalhos pois na trilha sonora além de canções de época, tivemos como uma das músicas principais composta pelo japonês Ryuichi Sakamoto.

 

A categoria de música, ao longo da história do prêmio foi aquela que mais sofreu alterações ao longo do tempo. Houve uma época de se premiar trilha adaptada, musical e não musical, drama, comédia, enfim uma verdadeira salada.

Assim como aconteceu com o compositor Alan Menken que de forma descuidada acabou levando de forma sucessiva 8 Oscar’s, vez por outra a situação se repete. O compositor argentino Gustavo Santaolalla em 2005 levou o prêmio de melhor trilha por O SEGREDO DE BROKEBECK MOUNTAIN. No ano seguinte ele volta a concorrer com BABEL, que na realidade acabou se transformando numa colcha de retalhos pois na trilha sonora além de canções de época, tivemos como uma das músicas principais composta pelo japonês Ryuichi Sakamoto. Aliás, a música “Bibo No Azoaro” foi composta  por Sakamoto em 1996, que tem inclusive a participação do violoncelista brasileiro Jacques Morelenbaum e que aparece como uma espécie de tema principal do filme. O compositor argentino Santaolalla levou o Oscar desbancando o favorito que era o francês Alexandre Desplat pela trilha sonora do filme A RAINHA. O curioso é que Alexandre Desplat acabou levando o prêmio do exigente Circulo de Críticos de Cinema de Los Angeles com a sua trilha para o filme A RAINHA.                                                                                                                                                                       Como o filme A RAINHA tem a direção do inglês Stephen Frears, inevitável o comentário dando conta de que a Academia parece que não nutre muita simpatia pelos ingleses, isso desde Charles  Chaplin. Diversos artistas ingleses só conquistaram a consagração na indústria de Hollywood depois de mudarem para os Estados Unidos, basta lembrar Alfred Hitchcock e Laurence Olivier.