OS SETE SAMURAIS (1954)

Publicado por admin em seg, 10/02/2017 - 11:15
Trilha sonora original de Os Sete Samurais de Fumio Hayasaka

O cineasta Akira Kurosawa, ao longo de sua carreira de meio século, realizou 30 filmes. Em cada um deles, podemos notar que a música nunca se estranhou com a cena, numa demonstração que as duas partes do filme, a visual e a sonora, sempre conviveram de forma harmoniosa. O filme OS SETE SAMURAIS levou mais de um ano para ser concluído, sendo considerado até então o filme mais caro produzido pela produtora Toho, à qual Kurosawa estava ligado. OS SETE SAMURAIS, quando lançado, conquistou enorme sucesso junto ao público, não merecendo por parte da crítica a mesma consideração.

O compositor Fumio Hayasaka seguramente foi aquele com o qual Kurosawa mais se identificou. Dentre os trabalhos produzidos por Hayasaka, inegavelmente OS SETE SAMURAIS se constitui numa autentica obra-prima.

 O filme é um épico, no qual a música é subdividida em três partes: o rufar dos tambores representa os bandidos, e a música folclórica é associada às imagens dos camponeses, com o aproveitamento da flauta e percussão, por fim a música dos samurais é representada por uma espécie de cantarolar baixo, por um coro masculino.

O tema principal é vigoroso e praticamente nos prepara para as intensas emoções reservadas para as cenas de batalhas travadas entre os samurais, defendendo os agricultores do bando de ladrões. A capacidade criativa e melodiosa de Hayasaka foi o que acabou por conquistar a simpatia de Kurosawa. OS SETE SAMURAIS, uma narrativa densa, é comparado ao cinema russo de Serguei Eisenstein, mas que embalada pelos acordes da música de Hayasaka assume feições de épico. No epílogo temos uma fusão de acordes, o rufar dos tambores, simbolizando o desfecho da história e a fusão com um solo de trompete homenageando os heróis tombados em combate. Entra então a música apoteótica de encerramento, num coroamento quase que sinfônico para a história contada na tela.