A FUNÇÃO DA MÚSICA- PARTE 3.

Publicado por admin em sex, 03/09/2018 - 08:24
Vamos trazer um desses nomes, que acabou conquistando enorme prestigio no cinema e nos brindou com dezenas de trabalhos que se toraram célebres e suas musicas extremamente emblemáticas. Estamos falando de Henry Mancini, cujo maior exemplo do seu enorme sucesso poderia ser dado através de um filme que ensejou praticamente uma série, A Pantera Cor de Rosa.

Seguindo com a série especial sobre tipos de trilhas vamos falar sobre aquela de acompanhamento. Primeiramente, vamos definir o que chamamos de acompanhamento. No rigor da linguagem musical poderia expressar as partes secundárias de uma trilha musical. Mas adaptando isso para o cinema, poderíamos traduzir simplesmente como aquela música que não tem a pretensão de expressar nenhuma mensagem específica, por isso ela simplesmente procura ser coerente com a cena que está sendo mostrada. Ao longo da história do cinema, tivemos inúmeros compositores que se esmeraram nesse estilo e também se consagraram. Vamos trazer um desses nomes, que acabou conquistando enorme prestigio no cinema e nos brindou com dezenas de trabalhos que se toraram célebres e suas musicas extremamente emblemáticas. Estamos falando de Henry Mancini, cujo maior exemplo do seu enorme sucesso poderia ser dado através de um filme que ensejou praticamente uma série, A Pantera Cor de Rosa. Bem, o prefixo musical que Mancini criou para a aparição da pantera, é autoexplicativo para justificar a trilha de acompanhamento. Os acordes já demonstram claramente que está se procurando acompanhar os passos da pantera. Mas o brilhantismo e a identificação de Henry Mancini com as trilhas de acompanhamento, também permitiu outros momentos brilhantes, como por exemplo por ocasião do filme A CORRIDA DO SÉCULO. Comédia de 1965 de Blake Edwards com grande elenco encabeçado por Tony Curtis, Jack Lemmon e Natalie Wood. A música de Mancini é uma verdadeira corrida do século.