UM ESTRANHO NO NINHO (1975)

Publicado por admin em ter, 10/03/2017 - 09:17
Trilha sonora original do filme  UM ESTRANHO NO NINHO composta por Jack Nitzsche

Se você perguntar a importância da atuação de Jack Nicholson no filme UM ESTRANHO NO NINHO, ninguém pode refutar. Aliás, o Óscar pelo seu desempenho foi mais do que merecido por uma atuação simplesmente irretocável. Da mesma forma, a direção sóbria e segura de Milos Forman que soube conduzir muito bem a história. Diga-se de passagem, uma história muito interessante sobre as engrenagens do poder, a questão da saúde mental e os fatores que têm alimentado discussões quanto à separação artificial dos fatores psicológicos e sociais que têm se constituído num tremendo obstáculo para que se tenha uma verdadeira compreensão dos Transtornos Mentais e de Comportamento. No filme, um presidiário é perseguido pela enfermeira chefe de um hospital de doentes mentais pelo fato deste pregar a rebeldia entre os pacientes. Na década de 1970, foi estimulada uma intensa discussão sobre o processo de desospitalização dos doentes psiquiátricos. Na verdade, muitas dessas instituições eram verdadeiras prisões, onde se praticavam até torturas como parte da terapia de choque aos pacientes.

E a música? Acreditamos particularmente que o próprio diretor não se preocupou muito com a música, já que ele não queria que nada pudesse concorrer com as cenas. A música de UM ESTRANHO NO NINHO é digna de uma apreciação especial, por sua importância na condução da narrativa. A música que o compositor Jack Nitzsche criou para o instante em que eram distribuídos os medicamentos aos doentes, os acordes em ritmo de valsa, como se fosse um baile, em que todos são obrigados a dançar conforme a música. Nesse momento, a música é introduzida em cena a partir de um toca discos, já que existia uma espécie de prefixo musical, que servia também como uma espécie de diversão.

Outra música instigante e profundamente maravilhosa intitulada “Play the game” mostra que os pacientes são obrigados a se submeter ao jogo do poder, manda quem pode, obedece quem tem juízo. Bem, o que o filme deixa sugerido é que o personagem McMurphy poderia ser o único “normal” naquele meio, por isso é o estranho. Mas o grande elemento surpresa é o próprio índio, que foge para não ser único estranho no ninho.

A trilha de Jack Nitzsche não ganhou nenhum prêmio importante, mas foi indicada para pelo menos dois deles, Óscar e Grammy.

A trilha sonora de UM ESTRANHO NO NINHO contribuiu para impulsionar a carreira de compositor de trilhas de Jack Nitzsche. Foram 37 trilhas sonoras compostas para o cinema, com especial destaque para A FORÇA DO DESTINO, valendo-lhe o Óscar de melhor canção para “Up Where We Belong” que também lhe valeu um Globo de Ouro e o Bafta da Inglaterra. O compositor teve trabalhos importantes como em NOVE SEMANAS E MEIA DE AMOR, CONTA COMIGO, A JÓIA DO NILO e A VINGANÇA.

Jack Nitzsche faleceu no dia 25 de agosto de 2000 vítima de um ataque cardíaco aos 63 anos.