UMA GUERRA PESSOAL

Publicado por admin em dom, 02/03/2019 - 19:16
 A atriz Rosamund Pike teve um desempenho simplesmente impecável, vivendo a jornalista Marie Colvin, tornando fiel os fatos que marcaram a trajetória daquela profissional. Ao longo do filme, você muitas vezes pode ter a sensação de estar assistindo uma cobertura da CNN, enquanto que não foram muitos os momentos em que seria possível, respirar simplesmente!

Como jornalista ao assistir ao filme UMA GUERRA PARTICULAR narrando a trajetória da correspondente de guerra Marie Colvin, impossível não se envolver no âmbito emocional da personagem, que consegue imprimir uma verdadeira declaração de amor à sua profissão. Apenas aquelas pessoas vocacionadas de forma precoce, conseguem entender como se envolver numa profissão que a luta é para sobreviver com a intenção de poder contar tudo que viu. Num momento em que a liberdade de expressão está sob ameaça, da mesma forma que a vida de jornalistas corre perigo, enquanto as FAKE NEWS tentam concorrer com os fatos reais narrados por profissionais dedicados. Ao perder um olho numa emboscada, isso não foi suficiente para interferir no seu faro pelo furo de reportagem.  Foi o primeiro longa metragem do jovem cineasta Matthew Reinamann que ao mesmo tempo em que procura contar a história sobre a trajetória profissional de uma das mais brilhantes jornalistas dos últimos tempos, também procura oferecer um documento preciso e fiel do que representa você estar no front de guerra e praticamente na linha de tiro de terroristas e inimigos. As  filmagens foram feitas na Jordânia o que confere uma realidade ainda mais sinistra do que representa conflitos armados. A narrativa feita por um cineasta que se especializou em documentários, isso contribui para acrescentar ao filme um clima além de denso, extremamente próximo ao real. A atriz Rosamund Pike teve um desempenho simplesmente impecável, vivendo a jornalista Marie Colvin, tornando fiel os fatos que marcaram a trajetória daquela profissional. Ao longo do filme, você muitas vezes pode ter a sensação de estar assistindo uma cobertura da CNN, enquanto que não foram muitos os momentos em que seria possível, respirar simplesmente!

O fato do compositor H. Scott Salinas estar mais habituado a produzir trabalhos para a televisão e particularmente em documentários, isso foi extremamente importante para que a sua música assumisse um papel de “background”, que muitas vezes se misturam com as bombas. Também foi muito feliz em selecionar uma espécie de canção tema que foi Requiem For A Private War composição e interpretação da cantora escocesa  Annie Lennox.