UM TRIBUTO PARA TRUFFAUT

Publicado por admin em seg, 10/21/2019 - 15:46
No dia 21 de outubro de 1984 morria o cineasta François Truffaut que se estivesse vivo estaria com 87 anos. Antes de tornar-se um diretor respeitado, o que auxiliou tremendamente essa trajetória bem sucedida foi o fato de ter sido um espectador precoce, pois na infância já demonstrava um latente interesse pelo cinema.

No dia 21 de outubro de 1984 morria o cineasta François Truffaut que se estivesse vivo estaria com 87 anos. Antes de tornar-se um diretor respeitado, o que auxiliou tremendamente essa trajetória bem sucedida foi o fato de ter sido um espectador precoce, pois na infância já demonstrava um latente interesse pelo cinema. Sua função de crítico aparelhou-o de um instrumento capaz de perceber num filme o que muitos espectadores não percebiam e até mesmo os cineastas, já que François Truffaut era profundamente identificado pelas minúcias. Truffaut reconheceu que a música sempre foi tremendamente sacrificada nos filmes. Ele tinha razão, pois se não bastasse muitas vezes as excentricidades dos próprios diretores, havia ainda uma dose de ingerência tremendamente nociva por parte de alguns produtores. O compositor que mais trabalhou com Truffaut foi Georges Delerue, a partir de ATIRARAM NO PIANISTA. Por ocasião desse filme, Truffaut chegou a oferecer a trilha para alguns compositores e nenhum deles chegou a demonstrar interesse, enquanto que Delerue não só se interessou como também percebeu claramente o espírito do filme. Bem por isso a trilha de ATIRARAM NO PIANISTA chega a ser um pastiche do que eram os filmes americanos. Para se ter uma idéia em ATIRARAM NO PIANISTA, vamos encontrar um pouco de tudo, inclusive de jazz e rock. No arquivo de áudio você poderá curtir uma suíte desta trilha.