TUBARÃO (1975)

Publicado por admin em ter, 10/03/2017 - 07:41
Trilha sonora original do filme Tubarão composta por John Williams

Este foi o filme que alavancou a carreira de Steven Spielberg, ao mesmo tempo em que serviu para comprovar que mais do que um cineasta, estava nascendo também um homem de marketing capaz de farejar bons projetos. O filme TUBARÃO é uma obra poderosa, repleta de momentos de pura tensão. A música composta por John Williams conseguiu imprimir muito mais do que um papel de acompanhamento, já que ela adquire contornos funcionais que reforçam as imagens do tubarão em cena.

Imagine se no lugar de Philip Sainton estivesse John Williams para compor a trilha sonora de MOBY DICK, de 1956, com certeza teria produzido um trabalho de maior densidade emocional.

John Williams na trilha sonora de O TUBARÃO usou todo seu vigor sinfônico, pois tinha a exata dimensão da importância que a música deveria assumir, não simplesmente com um tema de acompanhamento, mas, sobretudo, que ela fosse dotada de certo espírito premonitório, como que lançando avisos a plateia do que estava por acontecer perto da praia com aqueles banhistas no mar. O tema principal mostra uma conjugação perfeita e harmoniosa de cordas e metais. O solo de tuba, de Tommy Johnson, encarrega-se de reforçar as notas graves.

O tema principal de John Williams ganhou a dimensão de um prefixo musical, tanto que acabou sendo aproveitado até em comerciais de televisão.

A trilha sonora de TUBARÃO rendeu o segundo Óscar na trajetória de John Williams e viria acompanhado ainda de outros prêmios importantes como o Globo de Ouro, o Grammy e Bafta da Inglaterra.

O filme TUBARÃO rendeu três sequências cinematográficas. Para o segundo filme quando convidado, Spielberg afirmou que tudo que teria que ser dito e mostrado sobre TUBARÃO, o foi no primeiro filme. Em TUBARÃO 2, A VINGANÇA a trilha sonora foi novamente confiada a John Williams, que deveria ter dado a mesma resposta de Spielberg, já que musicalmente ele usa o tradicional acorde do primeiro filme e no restante inovou muito pouco. Aliás, a grande novidade desse segundo trabalho de John Williams foi um aproveitamento extremamente agradável de uma harpa, que ele usa a partir do tema principal. Mas efetivamente, o que dá sustentação e densidade à trilha de John Williams foi sem dúvida os acordes característicos originados da primeira versão de TUBARÃO para a tela.