O JOVEM AHMED

Publicado por admin em sab, 02/29/2020 - 15:42
O filme O JOVEM AHMED não trata de ataque terrorista, mas sim ao ponto extremo que a religião pode levar quanto a um fanatismo descontrolado, de um jovem que aparentemente não demonstraria qualquer sentimento de humanidade. Um filme que pode servir de combustível para abastecer uma discussão sobre religião.

Os irmãos Dardenne (Jean Pierre e Luc) gostam de desafios, nem que esses possam ser provocadores a ponto de sugerir, que ele não tinham nada que contar uma história que pudesse até sugerir uma certa apropriação cultural. Como se eles não tivessem o discernimento necessário, para contar a história de um adolescente muçulmano que acaba doutrinado pelo seu imã, o líder espiritual. Ahmed procura demonstrar uma excessiva preocupação com a pureza, notadamente quando do ritual das suas orações. Essa preocupação com a pureza, faz com que ele seja refratário a qualquer gesto de afetividade e carinho, mesmo que parta da sua própria mãe. O roteiro do filme que é assinado pelos irmãos Dardenne levou quase dois anos. A França sucudida por ataques terroristas, poderia estar contaminada por um sentimento de rejeição aos muçulmanos, mas a ampla pesquisa feita pelos irmãos cineasta, procurou ouvir segmentos diversos, com objetivo de fortalecer o roteiro do filme.  O filme O JOVEM AHMED não trata de ataque terrorista, mas sim ao ponto extremo que a religião pode levar quanto a um fanatismo descontrolado, de um jovem que aparentemente não demonstraria qualquer sentimento de humanidade. Um filme que pode servir de combustível para abastecer uma discussão sobre religião. A exemplo de outros trabalhos, os irmãos Dardenne não gostam de música em seus filmes, mas foi impossível não aproveitar, nem que fosse uma peça erudita como uma bela sonata de Schubert, executada ao piano por Alfred Brendel. Um filme provocador, elaborado com a habitual competência dos irmãos belgas Dardenne.