COMPOSITORES BRASILEIROS DE TRILHAS SONORAS – PARTE 2

Publicado por admin em ter, 02/25/2020 - 12:37
O compositor e produtor musical Mauricio Domene escalou mais um time de primeira linha, para adentrar o cenário do programa A Música no Cinema deste domingo, oito da noite.

No próximo domingo, dia 1º de março, vamos apresentar a segunda parte do programa especial em homenagem aos talentos brasileiros no campo das trilhas sonoras. O compositor e produtor musical Mauricio Domene escalou mais um time de primeira linha, para adentrar o cenário do programa A Música no Cinema deste domingo, oito da noite. Neste programa, pela proximidade do Dia Internacional da Mulher, vamos homenagear duas expoentes do cenário musical. A francesa de coração brasileiro, Marion Lemonnier e a brasileira Monique Aragão abrem o nosso desfile musical, cada uma apresentando os frutos de seus talentos. Temos ainda as participações dos compositores Beto Villares, Marcos Romera, Felipe Carvalho, Otávio de Moraes, Mú Carvalho e fechando o programa o Mauricio Domene vai apresentar o seu trabalho musical para o filme de 2017 THEO, ALÉM DA LIBERDADE do cineasta Júlio Quinan. Estamos profundamente felizes, com a nossa iniciativa de abrir este espaço para os nossos talentos no campo das trilhas sonoras. O espaço que foi sedimentado ao longo desses 34 anos, por grandes mestres como Alfred Newman, Bernard Herrmann, Henry Mancini, Ennio Morricone, John Barry e outros. O programa A Música no Cinema contribuiu para divulgar trabalhos daqueles que estavam surgindo nos anos oitenta como Gabriel Yared, James Horner, Hans Zimmer, Carter Burwell, Thomas Newman e outros. Nos anos noventa, também pudemos mostrar o talento de  Alexandre Desplat, Bruno Coulais, Harry Gregson Williams, Dario Marianelli, Craig Armstrong, Terence Blanchard e outros. A partir dos anos 2000, uma nova safra de compositores de trilhas composta por Klaus Badelt, Max Richter, Jóhann Jóhansson, Federico Jusid, Nicholas Britell, Hildur Guonadóttir e outros. Agora, vamos mostrar o talento da nossa gente, muitos já conquistaram espaços importantes no cenário cinematográfico internacional. Como bem frisou o cineasta russo Andrei Tarkovski: “Bem usada, a música tem a capacidade de alterar todo o tom emocional de uma sequência fílmica; ela deve ser inseparável da imagem visual a tal ponto que, se fosse eliminada de um determinado episódio, a imagem não apenas se tornaria mais pobre em termos de concepção e impacto, mas seria também qualitativamente diferente.” Costumo dizer que os ouvintes do nosso programa, nunca mais deixarão de prestar atenção na trilha sonora do filme.