AMARCORD (1973)

Publicado por admin em seg, 10/02/2017 - 17:29
Trilha sonora original do filme Amarcord composta por Nino Rota

Federico Fellini gostava de levar seus discos para o set de filmagens e tentar interferir na trilha sonora dos seus filmes. Mas do outro lado estava Nino Rota, que conhecia muito bem o modus operandi de Fellini, pois enquanto este se distraia com seus discos, o compositor sentava ao piano e começava a entoar acordes. De repente, Fellini se aproximava e começava a contar o filme para Rota, este então, como se fosse um médium, incorporava a música do filme. Foi exatamente assim que nasceu a trilha sonora de AMARCORD. Para que Fellini não ficasse sem participar diretamente da trilha sonora, Rota concordou com o aproveitamento de uma das músicas levadas para o set, “Siboney”, que foi imortalizada na voz de Connie Francis.

Quando acontecia de Fellini fazer uma sugestão sobre uma determinada música, Rota, enquanto conversava, tirava no piano aquela que viria a ser a música do filme. Esse era o jeito que Rota convencia Fellini, que no final exclamava: lindíssimo!

A música da personagem Gradisca, é de uma graciosidade comovente, baseada no tema principal. A música principal de AMARCORD tem a força de uma bela fábula.

Não por acaso, Fellini não se cansava de dizer que Nino Rota era o seu colaborador mais valioso. A integração entre o diretor e o compositor era intensa, Nino Rota pouco se preocupava com as imagens dos filmes, pois ele vivia a música com a facilidade e liberdade de uma criatura que vive numa dimensão puramente consciente.

O último trabalho de Nino Rota para Fellini foi em E LA NAVE VA, filme metafórico que mostra um amplo painel social de pessoas com seus problemas pessoais, mau humor, doenças e implicâncias. Nem mesmo os instrumentos são capazes de entender-se entre si, o contrafagote alto se desentende com as flautas silfídicas e a harpa que mais parece um chorão. Enfim, uma multidão desarmoniosa onde prevalece a individualidade, assim a orquestra foi o melhor exemplo para a mensagem. Nino Rota, de forma bastante criativa, soube como construir uma trilha hilária, com trechos musicais e um tema que predomina e desafia a própria harmonia entre os instrumentos.

A parceria entre Nino Rota e Federico Fellini durou vinte e seis anos, denotando claramente um afinamento muito profundo entre duas personalidades rigorosamente distintas.