MORRICONE E O TROMPETE

Publicado por admin em ter, 11/06/2018 - 21:05
A relação de Ennio Morricone com o trompete podemos dizer que é atávica. Seu pai, Mario era músico e tocava trompete e isso de certa maneira estimulou Ennio a se interessar pelo instrumento. Em 1938 ele se matriculou no Conservatório de Música de Santa Cecília e foi estudar trompa com o conceituado Umberto Semproni, não por acaso, em suas composições, vez por outra ele encontra um motivo musical capaz de prestigiar o primeiro instrumento que estudou com muito afinco.

A relação de Ennio Morricone com o trompete podemos dizer que é atávica. Seu pai, Mario era músico e tocava trompete e isso de certa maneira estimulou Ennio a se interessar pelo instrumento. Em 1938 ele se matriculou no Conservatório de Música de Santa Cecília e foi estudar trompa com o conceituado Umberto Semproni, não por acaso, em suas composições, vez por outra ele encontra um motivo musical capaz de prestigiar o primeiro instrumento que estudou com muito afinco.  Em italiano se diz “tromba”mas em português podemos entender como trompete ou mesmo a famosa corneta. Em 1972 através do grupo musical que criou chamado Gruppo di Improvvisazione Nuova Consonanza ele compôs uma peça chamada “Proibito per 8 trombe Dedication”.

Morricone no campo erudito também dedicou ao instrumento alguns trabalhos como em 1990 “UT (nota musical) per tromba, archi e percussione”. No cinema inúmeras trilhas contemplaram a participação da tromba como TRES HOMENS EM CONFLITO de 1966, dirigido por Sergio Leone e que se tornou mundialmente famoso, mas temos também por exemplo OS VIOLENTOS VÃO PARA O INFERNO de 1968, dirigido por Sergio Corbucci. Outro da tromba está no tema título do filme A FÚRIA DOS INTOCÁVEIS de 1969, filme dirigido por Giuliano Montaldo.

E o registro que devemos fazer da trilha sonora do filme BUDDY NO VELHO OESTE, estrelado por Bud Spencer, no filme dirigido por Michele Lupo, onde a trilha de Ennio Morricone contempla a faixa “L’Ultima Tromba” com o solo de tromba de Alberto Corvini.