MORRICONE E A VALSA

Publicado por admin em qua, 10/31/2018 - 21:06
Claro que o grande Il Maestro Ennio Morricone também não poderia deixar de brindar o seu público com esse ritmo tão refinado. Vamos citar apenas três  momentos em que aproveitando seus trabalhos, Morricone nos brinda com valsas.

Origem da palavra valsaWalzen - "dar voltas" em alemão  A primeira música em ritmo de valsa foi executada no Salão Barroco da Corte dos Habsburgos, em Viena em 1660.A dança foi surgindo nas regiões campestres da Áustria e Alemanha, a partir do minueto (dança em que os pares dançavam separados) e do Laendler (dança campesina mais antiga). Sua característica alegre e envolvente logo levou o ritmo à preferência de muitos, com exceção das classes aristocráticas e camadas sociais mais altas, que a consideravam imoral e vulgar. Compositores como Chopin, no piano e Jean Sibelius em Valsa Triste, esmeraram-se em estilizar valsas em alguns instrumentos. Claro que o grande Il Maestro Ennio Morricone também não poderia deixar de brindar o seu público com esse ritmo tão refinado. Vamos citar apenas três  momentos em que aproveitando seus trabalhos, Morricone nos brinda com valsas. Primeiramente no filme de 1972 dirigido por Carlo Carunchio D’AMORE SI MUORE estrelado pela inesquecível Silvana Mangano e ainda a cantora Milva, que chegou a gravar a canção de amor deste filme. Ennio Morricone compôs a “Valzer Da Strada, num ritmo profundamente contagiante, digno da sua genialidade. Em 1976 por ocasião do filme A HERANÇA DOS FERRAMONTI, com direção de Mauro Bolognini novamente Morricone esbanja talento, deixando os vienenses profundamente envolvidos com a valsa intitulada “Valzer Per La Buona Società”. Mais tarde em 1997 por ocasião da comédia que tem a direção da dupla de irmãos  Franco e Sergio Citti, no filme intitulado CARTONI ANIMATI com a valsa “Valzer Amaro.