0S 62 ANOS DE HANS ZIMMER

Publicado por admin em qui, 09/12/2019 - 21:42
Todos os sábados reunia meus amigos amantes das trilhas sonoras para uma sessão completa do melhor da música no cinema. Era o ano de 1989 e num daqueles sábados apresentei minha nova aquisição aos meus amigos. Era um CD de um compositor até então desconhecido, mas que ao assistir ao filme UM MUNDO À PARTE, além da esplendida atuação de Barbara Hershey, o que acabou me impressionando sobremaneira foi a trilha sonora de autoria de Hans Zimmer.

Todos os sábados reunia meus amigos amantes das trilhas sonoras para uma sessão completa do melhor da música no cinema. Era o ano de 1989 e num daqueles sábados apresentei minha nova aquisição aos meus amigos. Era um CD de um compositor até então desconhecido, mas que ao assistir ao filme UM MUNDO À PARTE, além da esplendida atuação de Barbara Hershey, o que acabou me impressionando sobremaneira foi a trilha sonora de autoria de Hans Zimmer. A partir daquele dia passei a acompanhar a sua trajetória e vim a saber que ele era parceiro de Stanley Myers. Fui então que descobri que já tinha ouvido alguma música de Zimmer, pois sua característica musical me parecia rigorosamente inconfundível. Na minha CEDETECA localizei a trilha de Stanley Myers para o filme MINHA ADORÁVEL LAVANDERIA, lá estava a música intitulada “Music”em que Myers fez parceria com Zimmer. Daquele dia em diante tinha mais ídolo que por enquanto era de uma trilha só “UM MUNDO À PARTE”. Mas vieram na sequencia outros trabalhos que confirmaram que eu estava no encalço de um compositor que tinha uma proposta diferenciada para os seus trabalhos. A próxima aquisição foi a trilha sonora de THE FRUIT MACHINE, depois veio então PAPERHOUSE, FOOLS OF FORTUNE, DIAMOND SKULLS e posteriormente já entraria na sua fase norte-americana. Hoje já são mais de uma centena de trilhas que servem para mostrar o seu amadurecimento musical e mais que isso, ele simplesmente abandonou aquele estilo de acompanhamento e suas trilhas passaram a exercer um papel de funcionalidade, ou seja, reforçam as cenas e auxiliam a narrativa. Nos arquivos de áudio, deixo as três trilhas da sua fase inglesa THE FRUIT MACHINE,PAPERHOUSE,FOOLS OF FORTUNE e DIAMOND SKULLS. A partir de agora você poderá dizer que conhece essas trilhas sonoras compostas na primeira fase da carreira de Hans Zimmer.