DOUTOR JIVAGO (1965)

Publicado por admin em seg, 10/02/2017 - 15:18
Trilha sonora do filme Doutor Jivago composta por Maurice Jarre

DOUTOR JIVAGO é um épico baseado no romance de Boris Pasternak com uma transposição perfeita para a tela através da direção soberba de David Lean. O produtor Carlo Ponti, como não obteve permissão do governo russo para as filmagens, optou por escolher a Espanha, cuja paisagem se assemelha a Rússia de 1917. As imagens do duro inverno russo foram feitas na Finlândia, que acabou fazendo às vezes da Sibéria.

Muito menos pelos prêmios conquistados como Óscar de melhor trilha sonora original, Globo de Ouro de melhor música e ainda o Grammy, muito mais pela importância do trabalho de Maurice Jarre para a narrativa cinematográfica. O tema principal apresenta uma conjugação de motivos sonoros russos, mas sobressaindo uma melodia que servirá para marcar boa parte da narrativa. O filme tem como narrador da história o personagem o General Yevgraf (Alec Guinness) que é o meio-irmão de Jivago (Omar Sharif).

Indubitavelmente esta trilha de DOUTOR JIVAGO se constituiu na verdadeira obra-prima do compositor Maurice Jarre. Pela primeira vez, ele compõe um Requiem para a cena do funeral da mãe de Yuri. A partir da presença em cena de uma balalaika, que é deixada pela mãe de Yuri como a única peça de herança, o instrumento é incorporado na trilha sonora do filme. Outro desafio interessante, diante do qual Maurice Jarre mais uma vez esbanja talento, é a cena do Student Café, com uma imponente valsa ao melhor estilo russo. Num instante agudo do filme, para a cena de grande expressão quando os cossacos se insurgem contra uma passeata socialista, a música de Jarre é de uma imponência digna de um Prokofiev, assim como as cenas próprias de um Eisenstein.

Depois de desencontros, finalmente Jivago e Lara ficam frente a frente, mas numa front de batalha, onde atendem os feridos do confronto de russos com alemães. Mas o Tema de Lara só seria entoado a partir do instante da partida de Lara, de volta a Moscou, evidenciando o sentimento de saudade que toma conta de Jivago.

Um aspecto extremamente interessante, na inserção da música na trilha sonora de DOUTOR JIVAGO, está no fato de que a música tinha muito mais relação com o pensamento do personagem do que propriamente a ação, com isso o cineasta David Lean procurou não permitir que a música pudesse interferir na narrativa.

Outro instante poético do filme está na cena de transição entre o inverno e a primavera, quando então a música assume o comando das emoções e reforça sobremaneira as imagens.

 Maurice Jarre confessou que não foi fácil chegar até o tema de Lara, uma vez que depois de três tentativas, todas elas rejeitadas pelo cineasta Lean, ele conseguiu encaixar um tema que moldasse ao personagem central da história. Jarre contou que estava ficando estressado com a pressão exercida por Lean, quando este sugeriu a ele que tirasse um final de semana para esvaziar a cabeça, indo para a praia. Quando retornou ao trabalho na segunda-feira, Jarre tinha pronto o tema de Lara.

Tivemos uma versão televisiva italiana de DOUTOR JIVAGO em 2002 dirigida pelo cineasta Giacomo Campiotti com a trilha sonora composta por Ludovico Einaldi. Independente de qualquer refilmagem que venha a ser produzida sobre DOUTOR JIVAGO, a música emblemática e inesquecível composta por Maurice Jarre está intimamente ligada à obra de Boris Pasternak.