TRIBUTO PARA JERRY GOLDSMITH.

Publicado por admin em sex, 02/09/2018 - 22:45
O tema de PAPILLON, produção de 1973 dirigida por Franklin J. Schaffner se constitui numa das mais belas páginas musicais compostas por Jerry Goldsmith.

De calça jeans, camisa de mangas compridas enroladas, gravatas coloridas e a cabeleira branca onde se destaca um rabo de cavalo. Este era o perfil do compositor Jerry Goldsmith, de quem os amigos valorizavam mais a sua admirável personalidade. Goldsmith foi aluno de um dos maiores expoentes da música no cinema, o húngaro Miklos Rozsa. Da mesma forma Goldsmith, a exemplo de John Williams, também estudou com Mario Castelnuovo-Tedesco. Mas a vida de Goldsmith não foi nada fácil já que ele teve antes de conseguir emplacar como compositor de trilhas,  trabalhar na televisão de auxiliar de escritório. Mais tarde Goldsmith teve uma passagem muito importante pela televisão compondo notáveis prefixos musicais para series vitoriosas como O AGENTE DA UNCLE, DR. KILDARE , THE TWILIGHT ZONE e outras. No entanto a amizade com Alfred Newman foi decisiva para abrir-lhe as portas do cinema, marcando sua estréia em 1957, através do filme BLACK PATCH. Com um extraordinário vigor musical e espírito criativo ele compôs mais de duzentas trilhas para o cinema, bem por isso chegando a ser chamado por alguns como “compositor de escala industrial”. Esta fama contribuiu até mesmo para um certo estigma que talvez tenha refletido na própria premiação, visto que ele foi indicado para concorrer ao Oscar por dezessete vezes, arrebatando uma única estatueta pelo seu trabalho para o filme A PROFECIA, 1976, dirigido por Richard Donner.  Um vasto conhecimento sobre a história da música permitiu que Jerry Goldsmith criasse ao longo de sua trajetória de compositor os mais diferentes acordes, conseguindo a magia de misturar orquestra com recursos eletrônicos, sem desempregar músicos.

Está mais do que provado que Jerry Goldsmith conseguiu fazer escola, já que assumidamente muitos compositores não escondem ter sofrido influências como foi o caso de James Horner. Dentre os trabalhos mais conceituados de Jerry Goldsmith poderíamos citar O PLANETA DOS MACACOS, PATTON, CHINATOWN, POLTERGEIST,  THE WIN AND THE LION, PAPILLON, isso para sintetizar as citações. No entanto, somos obrigados a reconhecer que alguns de seus trabalhos, muitos fãs preferem até esquecer como foi o caso de O CURANDEIRO DA SELVA (MEDICINE MAN). Goldsmith trabalhou com grandes expoentes da direção como Franklin J. Schaffner, John Sturges, Walter Hill, J. Lee Thompson, Richard Donner, esses alguns dos mais expressivos.

 O compositor Jerry Goldsmith foi dotado de um extraordinário senso de humor que acabou cativando a todos com os quais ele teve a oportunidade de trabalhar. Conta-se que durante as filmagens de O PLANETA DOS MACACOS, Goldsmith colocava uma máscara de macaco e circulava pelo set arrancando risos em profusão. Existia uma grande rivalidade entre os fãs de Jerry Goldsmith e John Williams, cada qual defendendo com unhas e dentes o prestígio do seu favorito. Certa vez, um grupo de aficionados de Jerry Goldsmith tentou trazer o compositor para uma apresentação no Brasil. Conta-se que um determinado músico chegou até a iniciar a organização de uma orquestra para execução das músicas de Goldsmith. Aliás, a característica musical de Goldsmith sempre foi marcante, visto que seu estilo se tornou inconfundível.

 Um dos melhores amigos de Jerry Goldsmith na esfera da música no cinema, sem dúvida foi Alex North. Cumpre destacar que em 1993, após a morte de North, o compositor Jerry Goldsmith resolveu prestar uma significativa homenagem ao amigo, gravando a trilha sonora de 2001 UMA ODISSÉIA NO ESPAÇO, que havia sido rejeitada por Stanley Kubrick. Trata-se de uma autentica relíquia musical com Goldsmith regendo a sua orquestra favorita, THE NATIONAL PHILARMONIC ORCHESTRA.

Jerry Goldsmith nasceu em Los Angeles no dia 10 de fevereiro de 1929, vindo a falecer no dia 21 de julho de 2004 em Beverly Hills, Califórnia, aos 75 anos vítima de um câncer de próstata.