AS INJUSTIÇAS DO OSCAR - PARTE 11.

Publicado por admin em seg, 02/26/2018 - 07:03
 Tan Dun ganha a estatueta e depois desponta para o anonimato, como já aconteceu com outros nomes da música no cinema. Isso nos remete a pensar sobre até que ponto, além dos aspectos positivos a premiação do Oscar poderia exercer um aspecto negativo para determinados artistas, esse é um questionamento que vez por outra volta a ser feito no âmbito do prêmio.

As injustiças para determinados prêmios, como nesse caso a música sempre acontecem na festa do Oscar. Isso se deve principalmente pelo fato de que são mais de seis mil associados de distintas categorias profissionais votando em quesitos que muitas vezes nem são percebidos.

Em 2001 quem levou o prêmio foi o chinês Tan Dun com a sua trilha para o filme O TIGRE E O DRAGÃO.O filme dirigido por Ang Lee obteve 10 indicações arrebatando 4 estatuetas.

Em 2002 Tan Dun assinaria ainda a trilha sonora do filme HEROI, mas depois disso sua produção ficou restrita  a documentários e series televisivas. Incrível como em determinados momentos da história do prêmio até parece uma espécie de maldição, pois o astro ganha a estatueta e depois desponta para o anonimato, como já aconteceu com outros nomes da música no cinema. Isso nos remete a pensar sobre até que ponto, além dos aspectos positivos a premiação do Oscar poderia exercer um aspecto negativo para determinados artistas, esse é um questionamento que vez por outra volta a ser feito no âmbito do prêmio.

 Melhor seria, nesse caso conferir um prêmio de percussão e não de música. Na realidade música mesmo tivemos de boa qualidade nos outros concorrentes como CHOCOLATE da compositora Rachel Portman, O TALENTOSO RIPLEY de Gabriel Yared, GLADIADOR de Hans Zimmer, O PATRIOTA de John Williams e mais uma vez Ennio Morricone com a trilha de MALENA. Dessas trilhas, indiscutivelmente o maior fenômeno de sucesso ficou por conta da trilha sonora do filme GLADIADOR composta por Hans Zimmer.