OSCAR DE MELHOR TRILHA SONORA

Publicado por admin em sab, 02/23/2019 - 19:44
Cinco compositores concorrem ao Oscar de melhor trilha sonora neste ano de 2019.

Cinco compositores concorrem ao Oscar de melhor trilha sonora neste ano de 2019. O compositor Marc Shaiman é um velho conhecido da Academia, tendo sido indicado em seis oportunidades e nunca ganhou. Neste ano ele assina a trilha sonora do musical MARY POPPINS. Considerando a simpatia que a Academia vem demonstrando ao longo de toda a sua história por esse gênero cinematográfico, seria plausível admitir que o compositor Marc Shaiman reúne excelentes oportunidades para levar o prêmio.  A Academia ao longo de toda a sua história também, teve como praxe repetir no ano seguinte o prêmio ao compositor de trilhas. A primeira vez que isso aconteceu na história do Oscar foi em 1951, quando o compositor Franz Waxman arrebatou o prêmio com a trilha sonora de UM LUGAR AO SOL, sendo que em 1950 ele havia recebido a estatueta pela música do filme CREPÚSCULO DOS DEUSES. Mais recentemente tivemos em 2006 o compositor argentino Gustavo Sataolalla recebendo o Oscar pela trilha sonora de BROKEBACK MOUNTAIN, sendo que no ano seguinte em 2007 ele levaria o prêmio com a música do filme BABEL. Nesse sentido o compositor Alexandre Desplat concorre pela 10ª vez com a trilha sonora do filme A ILHA DE CACHORROS,  sendo que ele já arrebatou duas estatuetas ( GRANDE HOTEL BUDAPESTE e A FORMA DA ÁGUA). O compositor Nicholas Brittel concorre pela segunda vez ao Oscar, sendo a primeiro com MOONLIGHT e agora com SE A RUA BEALE FALASSE. Dois compositores concorrem pela primeira vez ao Oscar, sendo o sueco Ludwig Göranson com PANTERA NEGRA e o norte-americano  Terence Blanchard com a música de INFILTRADO NA KLAN. Não existe favoritismo nessa categoria, mas dentro de uma possibilidade probabilística, poderíamos dizer que há uma forte possibilidade dos membros da Academia premiarem o conhecido Marc Shaiman, sendo que em termos de zebra poderia ser considerado o sueco Ludwig Göranson. No entanto, se os sócios da Academia prestassem mais atenção ao papel da música e sua importância no contexto da narrativa cinematográfica, sem dúvida o Oscar seria entregue para Terence Blanchard.