O CONVITE

Publicado por admin em ter, 09/22/2020 - 18:47
O CONVITE  filme nos remete a pensar ainda que a nossa sociedade, muitas vezes utilizando máscaras invisíveis, em meio a uma área cinzenta, isso esconde uma espécie de loucura coletiva

O filme é de 2016, dirigido pela cineasta americana Karyn Kusama, mas se mostra mais atual do que nunca. Sim, pois o filme trata de uma questão que neste atual momento de pandemia tem sido muito explorado que é o sistema de crenças reunindo terra- planistas, anti-vacinas, racistas, religiosos, e messianistas. O filme começa com o personagem  Will, interpretado magnificamente por Logan Marshall-Green ao lado da nova companheira Kyra, interpretada por Emaytzy Corinealdi. O casal se dirige para a mansão em Beverly Hills, da ex-esposa de Wil, a enigmática Eden, interpretada por Tammy Blanchard, que ao lado do seu novo marido David, vivido pelo holandês Michiel Huisman, recepcionam convidados para uma confraternização entre amigos. No interior da suntuosa residência do casal Eden e David, as percepções de estranhamento se acentuam a partir de alguns detalhes instigantes, no comportamento das pessoas. De repente o grupo se reúne para assistir, o que seria uma espécie de mensagem de doutrinação por parte de alguém que pretende assumir o controle sobre grupos sociais. Se por um lado, para Will, retornar a sua antiga residência seria uma espécie de resgate de lembranças que levariam a sentimento de culpa, de outra parte, a partir do próprio comportamento estranho de alguns convidados, tudo sinaliza de que aquela confraternização pode não ter desfecho satisfatório. O próprio comportamento de Will passa a ser estranho, dada a comparação de uma aparente, porém falsa impressão de extrema cordialidade entre os convidados. O CONVITE  filme nos remete a pensar ainda que a nossa sociedade, muitas vezes utilizando máscaras invisíveis, em meio a uma área cinzenta, isso esconde uma espécie de loucura coletiva. O CONVITE um filme possibilita uma visão crítica de cunho psicológico, a partir de uma realidade que não se mostra tão aparente, mas por meio de simbologias, como o simples ato de acender um lampião que irradia uma claridade avermelhada, como que numa sinalização premonitória de algum ato de violência prestes a acontecer. O CONVITE, a nossa dica cinematográfica, disponível na Netflix!